5 mães incríveis do reino animal

Estas 5 mães do reino animal demonstram que não há nada que uma mãe não seja capaz de fazer pelos filhos. Guiadas por uma imensa generosidade e instinto de proteção, elas dão literalmente o que têm de melhor às suas crias. Algumas passam meses sem comer, alimentando a prole até perder 130 quilos de sua massa corporal; dão à luz bebê de 90 quilos depois de carregá-los no ventre por quase 2 anos; se exibem como iscas para os predadores salvando seus filhotes e sacrificam as próprias vidas sem pensar duas vezes.

Hoje queremos expressar toda nossa admiração pelas incríveis mães do Reino animal!

  1. A paciente Orangotango
Foto: Pinterest

A mãe orangotango é talvez a mais paciente do reino animal. Elas só se reproduzem a cada oito anos. Enquanto, entre algumas espécies, os filhotes se tornam independentes apenas poucas horas após o parto, os bebês orangotangos ficam juntos da mãe por 6 ou 7 anos. Obviamente sem contar os seres humanos, nenhum outro animal fica tanto tempo junto aos seus filhos.

O laço é tão forte que, mesmo depois de independentes, as jovens fêmeas costumam visitar suas mães até atingirem a idade de 15 ou 16 anos.

2. A destemida Polvo

Foto: Pinterest

As fêmeas de polvo depositam até 50 mil ovos, e cuidam dele com a própria vida por 40 dias. Os pequenos polvos em gestação são um cobiçado manjar no mar, e suas mães sabem disso. Por isso, elas permanecem junto a eles durante o tempo necessário para seu desenvolvimento, ajudando em sua oxigenação “soprando” suavemente sobre eles a cada período de tempo.

Durante esses 40 dias, a mãe polvo não se alimenta. Seu corpo se consome para garantir a energia necessária para a sobrevivência. E na maioria dos casos, quando os ovos eclodem e os filhos estão prontos para sair ao mundo, elas morrem. A mãe polvo entrega a própria vida em troca da certeza de que os filhotes terão condições de nascer e viver.

3. A poderosa Harpia

Uma das mais poderosas mães entre as aves brasileiras é ninguém menos que, uma das maiores águias do mundo, a Harpia (Harpia harpyja).

Alimentar seus filhotes, não é uma tarefa fácil, para isso a Harpia precisa dar vários pulinhos no supermercado da floresta tropical e, literalmente, agarrar os alimentos que irão compor uma das dietas mais bem diversificadas entre os superpredadores tropicais.

Artigos publicados por pesquisadores como Neil Rettig – que, acompanhou de perto o comportamento reprodutivo destas aves, descrevem que, para agradar as pequenas Harpias, a supermamãe precisa caçar nada menos que dois Gambás-comuns (Didelphis marsupialis), treze Macacos-prego (Cebus sp.), um Bugio (Alouatta seniculus), dois Macacos Parauacu (Pithecia pithecia), dois Macacos Cuxiú-preto (Chiropotes satanas), quatro Juparás (Potos flavus), um Quati (Nasua nasua), um Gogó-de-sola (Bassaricyon beddarti), uma Irara (Eira barbara), cinco Cutias (Dasyprocta aguti), três Ouriços-cacheiros (Coendou prehensilis), seis Preguiças-de-três-dedos (Bradypus tridactylus), quinze Preguiças-reais (Choloepus didactylus), um Tamanduá-mirim (Tamandua tetradactyla) e um Veado-mateiro (Mazama americana).

Ufa! Mas claro que os desafios de ser mãe não se restringem à alimentação. Antes do nascimento dos pequenos, o casal de Harpias já se dedica à construção de um singelo ninho sobre nada menos que uma Samaúma (Ceiba pentandra), a maior árvore da Amazônia.

Esta exuberante espécie de árvore de 60 metros de altura foi a escolhida pela família de Harpias observada por Neil Rettig, para abrigar seu ninho com 137 centímetros de diâmetro e 78,7 centímetros de altura, dimensões dignas de uma águia.

4. A corajosa Elefante

Foto: Pexels

Antes mesmo do nascimento de seu filhote, a mãe elefanta já demonstra seu altruísmo e amor por ele. Ela carrega o bebê em seu ventre por 22 meses!

Depois de dar a luz a um elefantinho com até 115 quilos de peso, que chega ao mundo cego e totalmente dependente dela, a mamãe ainda o amamenta por quatro a seis anos. Então sua mãe, com a ajuda de todas as fêmeas de sua manada, precisam cuidar deles de maneira especial.

5. A cuidadosa Crocodilo

As mães crocodilo não protegem seus ovos sentando-se sobre eles, como acontece com muitas outras espécies ovíparas na natureza. Elas constroem um ninho a partir de material orgânico em decomposição, o que mantém a temperatura ideal para o desenvolvimento dos filhotes dentro dos ovos.

Um dado curioso descoberto por pesquisadores através do monitoramento da temperatura do ninho é que, se estiver fazendo menos de 31 graus, nascerá uma fêmea. Se a temperatura superar os 32 graus, nasce um macho.

Quando os filhotes crocodilos nascem, as mães os carregam dentro da boca para protegê-los durante os primeiros anos de vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: